sábado, 23 de abril de 2011

Acompanhante masculino em Sao Paulo - contos eroticos - Adriel Ventura

****FORA DO QUARTO DE ADRIEL****

Foi com um mocinho do Pará. Ele já estava a dias no meu msn, e como no meu msn existem muitos mais muitos que somente adicionam para tentar bater uma punheta, eu passo as informações necessárias e se eu vejo que o assunto não e tão serio como tem de ser, eu não dou muita atenção. E eu não sei se ele estava ou não recebendo minhas mensagens, porque a cada minuto ele fazia as mesmas perguntas. Então ele resolveu me ligar. Simpatia nota 10. Geralmente pessoa do norte do Brasil tem uma simpatia a mais mesmo.
    Hoje no inicio da tarde eu estava no shopping Frei Caneca, ate encontrei o Sergipano de ontem, que esqueceu a pulseira na minha casa, então o meu telefone tocou e era o moço do Pará, dizendo que havia chegado aqui em São Paulo hoje pela manha e se eu poderia ir ate o seu hotel naquela mesma hora. Desisti de comprar o meu tênis para as novas fotos que tenho marcadas na segunda feira, voltei para a minha casa, comi alguma coisa e desci para pegar o taxi rumo ao seu hotel na Avenida São João. No caminho enviei uma mensagem para dizer que eu já estava perto e chegando ao seu hotel. Quando cheguei eu subi direto sem passar pela recepção.
     Toquei a sua porta e escutei sua voz dizendo que já estava indo. (rsrsrsrs)
      A porta se abriu e o caminho ficou livre para eu entrar, pois o mocinho  ficou escondido por de trás. (nessa hora eu já percebi que ele parecia ser engraçado... rsrsrsrs)
      Era um mocinho de pele muito branca e rosada, aparentava ter pouco mais de 20 anos mais segundo ele a idade certa é 31. (ele não tinha sinais de botox)
       Bom, começamos nos beijando, ele parecia ser carinhoso, a pele macia, ele falava, conversava e contava historias, dava vontade de morder e beijar muito... Conversava, ria mais um pouco, me abraça, me beijava, ficamos vendo a vista panorâmica de São Paulo, entre um beijo e outro. Coloquei-o sentado no meu colo. Ainda estávamos vestidos. Logo ele tirou a roupa e se deitou na cama, se cobrindo com o cobertor, então perguntei se ele estava com vergonha.  Ele respondeu que sim, então tirei a minha roupa também e pulei na cama. Beijamos-nos, nos abraçamos, nos esfregamos e meu pau latejando. Que beijo gostoso. Ele era pequeno e cabia direitinho encaixado em mim. Nesse momento parecia que eu poderia fazer com ele o que eu quisesse. Entoa com forca eu o virei de costas e fui beijando e mordendo desde a sua nuca, ate chegar à sua bunda, redonda e bem firme. Sem nenhuma marca, sinal nem nada.  Era uma bunda macia e carnuda. E me deixou mais louco ainda quando eu vi o cuzinho rosa. <meti a boca sem dó. Ele gemia de mais, gemia com tesao, e ao mesmo tempo dizia: VAI.... FODE O MEU CUZINHO ROSA COM A BOCA FODE ??!! Aquilo foi me deixando louco, como estou ficando agora somente de lembrar. Então ele se virou e pediu para eu me deitar na cama para ele fazer uma caprichada gulosa de presença. Ele foi descendo, chupou bastante meus peitos, chupava a minha barriga e com muita vontade engoliu o meu pau. Fazia pressão, babava, engolia, fazia-me sentir a sua garganta a cada engolida. O moleque estava quente, e me deixando fervendo. De repente ele desceu para o meu saco e me abocanhou. Eu dei um grito, porque infelizmente o meu saco e a parte mais sensível do meu corpo, e eu não consigo deixar ninguém engolir. (ponto negativo L)
Senti que ele ficou um pouco decepcionado, mais logo ele disse que não tem problema e continuou me chupando como ninguém. Depois mudamos de posição e fizemos um meia nove . Ele engolia a minha rola e eu chupava o seu cuzinho, nessa hora eu já estava preparando o terreno para receber a minha rola ate o fundo. Eu metia a minha língua e um dedo, depois a língua de novo dois dedos. Era um cuzinho muito apertado. Não acreditei que a minha rola entraria fácil ali. Foi quando comentei isso e ele disse: más eu não vou dar pra você! (COMO ASSIM NÃO VAI DAR PRA MIM???)
Ele mais uma vez disse que não ia dar mesmo, e eu já fiquei mais louco ainda. Virei ele de costas dizendo que não tinha problema, (mais na minha cabeça e já estava buscando alguma artimanha de concretizar o fato. (TUDO BEM QUE A GALERA ESTA PAGANDO, MAS EU SOU HUMANO, A CARNE E FRACA E EU TAMBEM QUERO GOZAR!!!)... sendo assim eu coloquei ele virado de ladinho e fiquei atrás beijando e mordendo a sua nuca, passando os dedos ao redor de seu cuzinho, que estava molhado por ele mesmo, que tirou saliva da boca e passou atrás para lubrificar um pouco essa brincadeira, então aproveitei que estava molhadinho e fiquei esfregando a cabeça do meu pau ali, ate que ele pediu para eu pegar a porra da camisinha para meter no seu cu ate o talo. (EU DISSE: AH BOM POIS EU ESTAVA A PONTO DE COMETER UM ESTUPRO..sim eu estava a esse ponto)
     Peguei a camisinha e coloquei, enquanto ele dizia: METE ATE O TALO.. Eu meti primeiro devagar, pois o cuzinho era apertadinho mesmo. Meu pau foi escorregando, eu sentia cada parte de dentro do seu cu se abrindo e esquentando. Ele falava besteira, gemia de tesao, de prazer e de dor, eu senti sua bunda bater nos meus pelos pubianos e o abracei com vontade fudendo aquele cuzinho maravilhoso. Ele pediu mais, dizendo que queria mais e mais. Eu dei uma pequena pausa pq eu estava quente, muito quente. Virei o mocinho de costas para sentir um pouco melhor o seu corpo embaixo do meu. Tapei a sua boca, ele chupava e mordia meus dedos. Então ele pediu para eu gozar. Sugeri que gozassemos  juntos. Mas eu não agüentei e acabei gozando primeiro. Eu gozei gritando, acho que o corredor do hotel inteiro escutou. (rsrsrsrs). Continuei que o meu pau enfiado no seu e ele se masturbou para gozar. Gozou gostoso, se sujou muito de porra. Ele fumou um cigarro e me deu presentinhos que trouxe de Belém do Pará. Trouxe-me algumas brevidades preparadas por ele mesmo na sua casa, que estava divina. Quando comi a primeira eu sugeri um cafezinho para acompanhar. Então fomos a uma padaria. Tomei duas xícaras de café e ele uma. Comprou alguns pãezinhos e eu o acompanhei de volta para o hotel. Eu fiquei com tesao nele de novo, e a minha vontade foi de subir de volta com ele fuder a tarde inteira, pois um pedreiro veio concertar a pia da minha casa hoje e esta tudo virado de ponta cabeça. L
     Combinamos de amanha almoçar juntos, pois como ele não é daqui, quer passear na feirinha da liberdade. Eu adoro ir la, para comprar incensos. Ganhei também uma caixinha de bombons feitos com recheios de frutas daquela região. Vou comer amanha no domingo de páscoa. A páscoa para mim e mais mágica que o natal, devido a minha infância, que apesar do meu pai ter sido um grande herói, chocolate era uma extravagância que meus irmãos e eu tínhamos apena uma vez por ano e era na páscoa. (mais comentários esses são extras..rsrsr)
    (Amanha vamos ver se ele me liga para irmos a ferinha, e eu vou tentar comer ele de novo)

   




5 comentários:

Ninho disse...

Oi, Adriel. Cara, fiquei impressionado como você escreve bem, como sua narrativa flui bem e como ela é sensual, erótica e excitante sem ser, no entanto, pornográfica. Moro em Salvador, sou jornalista e roteirista de cinema. Estava pesquisando garotos de programa em São Paulo e seu blog me chamou atenção. Parabéns, cara. Continue escrevendo que isso pode virar uma versão masculina de "Bruna Surfistinha". Meu nome é Douglas (tel. 71 91550700)

joviany disse...

adriel quando chegar em sp agente conversa pessoalmente vc conversa com ela e explica melhor como vai ser td bem,

Key disse...

Adoro suas historias espero fazer parte um dia! beijos.

angéll disse...

nossaaaaaa!!!!!!

Flavio Medsen disse...

Concordo em muito que o Ninho disse sua narrativa é excelente. Nos convida a ler mais e mais.... hehehe.