sexta-feira, 10 de junho de 2011

CONTO EROTICO GAY - ADRIEL VENTURA - O VALE FODA!

                        VALE FODA!

Era fim de semana da virada cultural em São Paulo, o centro estava carregado de gente alegre, era dia de festas, em alguns pontos do centro havia muita musica e muita muvuca de gente bêbada fazendo algazarra e se divertindo cada um de sua maneira. E um fim de semana desses que eu prefiro ficar quietinho na minha casa esperando o meu telefone tocar, para eu poder fazer aquilo que eu realmente gosto. (hehehhehe)
Me telefonou um rapaz de voz grossa, foi direto ao assunto. Disse que estava em casa com dois amigos que estavam juntos e que ele não queria ficar sozinho e também estava muito a fim de dar a bunda. Entoa passei o meu endereço e expliquei tudinho como e que funcionava. Então ele preferiu que eu fosse ate a sua casa. Então chamei o meu taxista e fui me arrumar.  Cheguei no seu endereço como sempre com o meu coração a mil (parece que não, mas em minhas saídas eu sempre fico inseguro,pois não sei o que realmente esta me esperando, algumas pessoas são maldosas e de verdade eu não sei me dar muito bem com isso,sempre rola uma pontinha de medo e o coração bastante acelerado). O taxista percebeu um rapaz estranho na rua, parecia que estava procurando algo ou alguém para roubar, então decidimos dar uma volta no quarteirão e quando voltamos esse rapaz não estava mais ali. Ainda bem , porque era um rapaz desses pra la de mal encarado.
    Atravessei a rua e apertei o seu interfone acho que umas 5 vezes, que por fim atenderam.
     Me pediu para aguardar um pouquinho, pois ele teria de descer para abrir o portão para mim, pois naquela hora o porteiro eletrônico por medidas de segurança não estava funcionado. Então fiquei ali naquela rua estranha e escura esperando meu cliente ir me apanhar.
      Passou um minuto, dois, três, cinco, dez........ nada do cara descer. Entoa telefonei no seu celular e perguntei o que estava acontecendo e senti que ele estava um pouco nervoso. Me pediu para esperar um pouco mais, e aquele moço que parecia um estranho drogado na rua começou a rondar de novo naquele momento e então eu já estava com o meu coração mais que saindo pela boca,as pernas já nem sentia mais.... hehehe
      Então pelo telefone o moço me disse: Adriel, estou sem minha chave, meu amigo saiu para comprar algumas coisas e levou estou trancado aqui dentro, tem como você esperar ai na rua? Eu disse que sim, porem eu não ia esperar muito tempo, porque aquela rua era muito estranha eu estava sim com muito medo de ficar ali. Esperei mais alguns minutos e como o amigo dele não chegava eu telefonei de novo e perguntei: MEU, NÃO E POR NADA, MAS QUE PALHACADA E ESSA? SE VOCE CHAMOU UM MICHE QUE SEJA PARA IR NA SUA CASA, VOCE DEVERIA DE TER A CHAVE. EU NÃO VOU FICAR ESPERANDO MAIS TEMPO AQUI MESMO, TEM MUITAGENTE ESTRANHA NA RUA, (    e tinha mesmo)E DE VERDADE ESTOU UMPOUCO ENCOMODADO COM ESSA SITUACAO.
    O cliente quase se alterou, mas acho que percebeu que o erro era dele e não fez isso. Então perguntou como eu queria fazer. Entao disse: SE VIRA, JOGA O MEU DINHEIRO PELA JANELA PORQUE EU NÃO QUERO MAIS FICAR AQUI. Ele tentou contestar, mas acho que eu não estava errado, pois aminha parte eu estava fazendo, quem estava dificultando era ele, e eu de verdade não tinha nada com isso que o amigo dele tinha levado a chave, eu so sei que ali naquele lugar eu não queria mais ficar esperando pelo fato de eu estar sentindo medo de estar ali. Enfim, o erro era dele e não tinha porque discutir, sendo que aminha parte eu procuro sempre ser correto, então como e que alguém não vai ser correto comigo. Ele discutiu, o que me fez ficar profundamente irritado, então não respondi nada e enviei-lhe uma mensagem de texto, foi quando ele decidiu jogar o meu dinheiro pela janela embrulhado em um coador descartável de café. Conferi o dinheiro (ESTAVA FALTANDO, MAS EU ESTAVA IRRITADO E FUI EMBORA).
  Fiquei mega chateado, pois como eu recebi o dinheiro, mesmo que estava faltando, eu deveria ter feito o meu trabalho,eu queria ter estado com ele fui impedido por mera idiotice não da minha parte.
   Voltei para a minha casa caminhando mesmo, era um pouco longe, mas eu estava co aminha cabeça tão quente que resolvi andar para pensar. Eu tenho mania de achar que faço algo errado com algo não da certo, então eu fico quebrando a minha cabeça, tentando encontrar uma maneira de repetir o mesmo erro.Odeio quando isso acontece e como um bom ariano que eu sou, eu fico me martelando o tempo todo. Então lhe enviei a seguinte mensagem: ESTOU CHATEADO AGORA,ODEIO QUANDO ACONTECE ESSE TIPO DE COISA, PORQUE NÃO PUDE FAZER A MINHA PARTE, NÃO VAI ROLAR DE EU  VOLTAR AI AGORA, MAS FIQUESABENDO QUE VOCE TEM UMVALE FODA COMIGO, E ESTEJA A VONTADE DE USAR QUANDO QUISER. E SO ME LIGAR QUE EU TE RECEBO NO MEU APARTAMENTO.
      Passaram-se vários dias e na sexta feira santa ele me ligou e perguntou se eu estaria disponível, mas como esse dia e o único do ano em que eu não trabalho por respeito a minha religião, eu expliquei que não dava que eu somente estaria disponível depois da meia noite, e expliquei mais uma vez o motivo. Ele ficou tranqüilo e disse que retornaria assim que desse uma brecha na sua agenda. O tempo passou e eu me esqueci da existência desse cara.
      Quando antes de ontem na parte da tarde tocou o meu telefone e eu vi escrito na bina do meu celular: VALE FODA!
       Atendi a ligação como se fosse um cliente já conhecido e querido, para quebrar aquele gelo e aquele clima chato de quando nos falamos pelas ultimas vezes. Ele me perguntou se eu estaria disponível em 40 minutos. Então lhe passei meu endereço e fiquei aguardando.
       Acho que no caminho da minha casa ele me ligou umas cinco vezes, dizendo que estava no transito e que estava tudo parado. Eu respondi que não tinha problema,e ele parecia estar bastante preocupado em não me atrapalhar.
       O cara demorou mais, então resolvi ligar e perguntar o que estaria acontecendo. Então eu percebi que o cara era um pouco enrolado. Respirei fundo e continuei esperando. Logo ele me ligou de novo dizendo que estava no estacionamento da frente do meu prédio, ate pediu para eu sair na janela para ver que era verdade, o problema foi que o estacionamento do meu prédio não aceitava cartão. (como e que uma pessoa sai de carro e não leva 20 reais no bolso para uma emergência, mas enfim)
      Indiquei o outro estacionamento que tem na parte de baixo e vi pela janela do meu quarto ele entrando no estacionamento e logo saindo. (AIIIIIII MEUDEUSSS!!!), e entrou no outro estacionamento de um hotel aqui na Rua Augusta, onde certamente aceitaria cartão, então logo meu interfone tocou e eu autorizei a sua subida. (POR FIM MEU DEUS)
      A campainha tocou e eu abri a porta. Era um rapaz lindo de olhos verdes, cabelos grisalhos, acredito que 1,80 de altura, magro com o corpo definido mas não de academia. O cara tinha pinta de artista.Bonito mesmo. Nem precisei convidar para entrar, pois ele já estava dentro da minha sala. Cumprimentamos-nos e dei um beijo na sua boca. Ele elogiou o meu apartamento e eu lhe ofereci uma bebida, da qual ele optou por umaagua mineral. Não deu muito tempo de puxar assunto e eu já fui atacado no meu pinto por usa Mao de dedos finos e pele macia. Então agarrei ele forte e o coloquei de 4, para arrancar sua calça e deixar a sua bunda a mostra. Era uma bunda branquinha com marca de sunga e redondinha, macia e durinha. Fiquei ali acariciando sua bunda entre uma pegada forte e outra. Ele parecia estar morrendo de tezao porque o tempo todo ele apertava meu pau por cima da minha calça que estava entre duro e mole. Então chamei para o quarto, tiramos a roupa e ele começou a chupar o meu pau como nunca. Era uma boca de veludo e o meu pau foi respondendo aquela maravilhosa mamada de presença. Seus olhos brilhavam e meu pau foi crescendo enquanto ele dizia: E COMO CHUPAR UM PAU DE HETERO QUE TA MOLE, VAI FICANDO DURO E QUANDO FICA DURO, FICA COMO UMA ROCHA QUE NÃO ABAIXA MAIS. Dito e feito, meu pau já estava a ponto de bala, e já estávamos falando muitas besteiras como por exemplo: FICA DE 4 SEU VIADINHO PORQUE AGORA EU QUERO FAZER O QUE EU MAIS GOSTO QUE É FODER UM CU.
     Seu cu estava piscando, estava rosa e quente pedindo rola. Encapei meu dito cujo e passei a cabeça na porta do seu cuzinho, ele dizia o tempo todo que fazia um tempo que não dava e que ano sabia se iria agüentar o tamanho da minha rola que estava dura e potente. Mas eu estava com muito tezao, ele pelo visto ele muito mais do que, pois eu percebi que seu cacete estava duro e firme assim como o meu.
      Passei lubrificando no seu cuzinho e na cabeça do meu pau, massageando sua bunda e a minha glande já sendo introduzida dentro do seu apertado e macio cu. Meu pau vagarosamente foi entrando e seus gemidos foram saindo de sua boca, seus olhos estavam fechados bem apertados e sua cara de prazer e dor ao mesmo tempo era única. Eu estava me tremendo de tezao ao ver aquele homenzarrão bonito de quatro na minha cama, sentindo minha rola entrar fundo no seu cu, dando socos no meu colchão, pedindo para ir um pouco mais devagar. Mas eu queria sentir cada centímetro da minha rola adentrando seu cuzinho apertadinho, ate meus pelos encostar-se à sua bunda, ou seja: EU QUERIA MEU PAU METIDO ATE O TALO NO SEU CUZINHO!
      Ele gemia, gritava,dava vario socos no colchão, fazia cara de prazer de dor, pedia para parar, pedia mais.Meu pau estava duro como esta ficando agora pois eu escrevo e me lembro de cada detalhe daquele esperado momento de tezao. Então mudamos de posição, me deitei na cama de barriga para cima e ele veio de frente sentando encima do meu cacete. (essa e aposição que eu mais gosto, pois consigo sentir o corpo do cara junto ao meu, e posso também dar minhas bombadas olhando sua cara de prazer)..ele cavalgava gostoso, eu acariciava seu peito depilado e precisava seus olhos verdes abrindo e fechando, sentindo minha rola da porta do seu cu ate fundo, o fazendo gemer involuntariamente a cada estocada minha que ele levava. Ficamos um tempo ali, ate que eu pedi para parar um pouquinho pois eu já estava a ponto de goar. Ele não aprou e pediu para eu gozar sim, pois ele também já não agüentaria por muito tempo. Vi seu pau duro que balançava firme batendo na minha barriga e na sua.
     Gozeiiiiiiii.......uma sensação incrível saiu do meu pau e em seguida eu senti seu leite  no meu queixo, mas dois jatos de porra no no meu peito e mais um pouco escorrer na minha barriga. Ele gozou pra cacete e depois ficou com os olhos arregalados e pediu para ficar encima de mim mais um pouquinho pois suas pernas estava bambas,e asminhas também. Hehehehehehe
     Ele se levantou e pediu para fumar um cigarro, afirmando que eu não era um fumante e se eu me importava de ele fumar um cigarro dentro do meu AP.E lógico que pode, aqui na minha casa você pode fazer de tudo.
     Ficamos na sala conversando um pouco e fumando um cigarro. Era um rapaz muito agradável, olhava nos meus olhos quando falava e isso me faz ter fácil uma certa confiança. Logo nos despedimos e eu o levei ate o elevador.
     Meia hora depois ele me telefonou dizendo que foi muito bom, e disse também que se ele não tivesse uma vida tão corrida e reservada, ele voltaria mais vezes, e me agradeceu por eu ter tratado ele tão bem e ter cumprido com o que eu havia combinado a alguns meses atrás!
    A foda foi boa, rápida, mas muito boa.
    Bom, eu de verdade espero que ele volte um dia......rsrsrsrsr






6 comentários:

Jonas disse...

É, profissionalismo grande de sua parte. O rapaz vacilou de uma maneira que realmente o dinheiro deveria ter ficado para sanar seu prejuízo e perigo numa situação como essa!

Um vale foda com você com certeza deve ser algo de primeira. Como diria a propaganda do Mastercard, uma transa com Adriel Ventura: não tem preço. Tudo bem, o trocadilho não ficou dos melhores, mas acho que descreve um pouco o desejo de um homem pra outro homem. O bacana é que percebesse que o seu carinho para com cada um é bem diferenciado, e deixar cada um se sentindo especial em um contado tão rápido é complicado.

Bem Adriel, ainda terei o prazer de desfrutar de sua companhia e alugarei seus ouvidos pra boas conversas além de uma transa bem máscula, sem frescuras. Com a dificuldade de achar caras não afeminados, você será o hétero dos meus sonhos. Ouviremos um bom rock n’ roll, umas taças de vinho e por um dia esqueceremos o mundo lá fora.

Até a próxima, um grande abraço!

adriel ventura disse...

TE ESPERO UM DIA JONAS!

angéll disse...

ualll nossa o que é isso vç é de outro mundo!!!

goodboy disse...

Muito bom ter encontrado esse blog,pois mim deliciei e vivi cada história contada de maneira tão rica e direta por essa maravilha da natureza...Pena que estou na Bahia,mas quando voltar a terra da garoa,é certa a minha ida até o seu canto do prazer...Bjos

Touguinhó disse...

As suas histórias são as melhores!! Pena que sou tão tímido....Porque nem estamos tão longe!! Bjs

Touguinhó disse...

Vc conta as suas experiencias de uma forma tão "viva", que se eu não fosse tão tímido...te ligaria agora!! ;)